4 de dezembro de 2012

Meu último texto pra você

Eu sabia que uma hora chegaria. Mas é que, às vezes, nós fugimos da verdade e preferimos ouvir coisas confortantes. É estranho, mas o ser humano tem essa mania; de adiar a solidão que, inevitavelmente, uma hora chega. Chega mas vai embora. É a lei da vida. Sei que pode soar clichê, mas tudo passa, é verdade. Mesmo que demore. Só quem passou por isso sabe, e quem nunca passou um dia vai saber.

Certa vez, num dia qualquer desses aí, meu melhor amigo me perguntou o que, afinal, eu vi em você. Na hora eu não soube o que responder - eram tantas coisas e nada ao mesmo tempo. De repente, lembrei de uma frase da Tati Bernardi e falei: "tudo aquilo que eu não vi em mais ninguém." (Obrigada, Tati, essa foi realmente a melhor coisa que eu poderia ter dito.)

Mas relaxa, esse não é mais um daqueles textos em que eu somente falo o que sinto por você. Resolvi fazer diferente dessa vez. Você já cansou de saber tudo o que eu sinto ou deixo de sentir; coragem para dizer não foi o que faltou pra mim. Eu só queria mesmo, nesses últimos parágrafos, te dizer adeus.

Eu te amei com cada fibra do meu corpo, e isso foi o suficiente para me anestesiar; a dor foi apenas um reflexo, tão forte e tão despercebida ao mesmo tempo. Eu não sabia direito o que eu queria, te juro. Era uma coisa que, ao mesmo tempo em que podia te fazer sorrir, podia me ferir. Eram coisas que não andavam juntas, e enquanto eu insistia em uma, abria mão da outra. Como se eu tivesse apenas um ingresso para o show da nossa cantora preferida. Te ver feliz ou ME fazer feliz? Uma pena saber que eu demorei tanto tempo para optar pela segunda.

É lógico que eu vou sentir sua falta. Apesar de ter me conformado e aprendido a me fazer 100% feliz sozinha, a cada vez que alguém fala o seu nome perto de mim, sinto uma coisa estranha. Não é nada do tipo "borboletas no estômago", coração batendo mais forte ou brilho nos olhos. Não, nada disso. Só me vêm à cabeça as lembranças, bate uma saudade do que fomos e do que poderíamos ter sido. Seu cheiro surge do nada, lembro daquela cena de você me dando um beijo estralado na bochecha de surpresa, e a forma como meu rosto esquentava cada vez que você chegava perto. Essa coisas vêm assim, espontaneamente, e então eu me lembro o porquê de eu gostar tanto assim de você.

Gosto ou gostei? Não sei, pouco me importa. Há muito tempo que parei de pensar nessas coisas, me preocupar tanto com possibilidades... Confesso, é triste ver agora o que você se tornou pra mim. Um estranho, o menino que passa por mim e não faz mais meu mundo girar 360 graus. Eu, sinceramente, queria ter tido a sorte de ser a menina que está ao seu lado agora. Pelo menos assim não estaria provando o gosto amargo do fim. Mas vai ver as coisas aconteceram exatamente como tinham que acontecer.

Você abriu buracos em mim, fendas, e me deixou coberta de cicatrizes. Mas também fez com que eu tivesse a chance de passar por isso e aprender a me levantar e me reerguer, sozinha. Você me tirou as forças, eu me fiz forte outra vez. Com um simples gesto você me destruiu, e então eu me reconstruí. Você foi um furacão em minha vida; as coisas ainda não estão totalmente em seu devido lugar, mas vão ficar, eu garanto. Você foi suficiente para eu aprender como o mundo é aí fora, e essencial para que eu fosse o que eu sou hoje.

Pelas suas palavras, você me amou. E também por elas, me machucou.

Como já dito, nunca pensei que essa hora chegaria. Até pensei, mas achei que fosse diferente. E podia mesmo ter sido de outra maneira. Eu poderia estar falando um "eu te amo" agora, ao invés de um "se cuida... até logo". Ou, como provavelmente vai ser, "até nunca mais".

13 comentários:

  1. Larissa, esse texto me define, sério. Não saber se ainda gosto ou não gosto mais de alguém. Sentir amor e repúdio ao mesmo tempo. Amar e desamar. Atirar e se colocar na frente da bala pra não atingi-lo. Tão antitético, mas só quem sente, conhece. Sentir vontade de que seja eterno, mesmo sabendo que não será. Odiar e amar... Um ódio tão bom. Um masoquismo, talvez? Uma dor que se transforma em amor num piscar de olhos...

    Meu face: https://www.facebook.com/mary.ferreira.37669?ref=tn_tnmn
    Adiciona? precisamos conversar, sério. me identifiquei muito com você, de verdade. :')

    ResponderExcluir
  2. Texto lindo!
    Achei seu blog maravilhoso, e gostei do modo como escreve.

    Beijos

    http://4quatronotas.wordpress.com

    ResponderExcluir
  3. Que bom que curtiu, Amanda! <3

    Nossa, que lindas as palavras Mari :') é exatamente assim! E fico feliz por saber que você se identificou com o texto... Pode deixar que eu te add por lá sim :)

    E obrigada suas lindas <3

    ResponderExcluir
  4. Chorei Laris. )': Acho que eu me vi neste texto, mas de uma forma diferente porque era distante... Quando você gosta de uma pessoa de verdade, aquele amor que vc sente nunca acaba, sempre fica um carinho incontrolável dentro de vc, e como consequência aquela mega vontade de falar tudo para a pessoa, mas ai a outra pessoa talvez não esteja mais sentindo nada, e ficamos nessa de guardar para nós. E no final é sempre assim, nos tornamos estranhos. Estranho tudo isso, não? Mas fazer o que né?.

    Beijinhos!
    http://meiosdiasgastos.blogspot.com.br/
    https://www.facebook.com/MeiosDiasGastos

    ResponderExcluir
  5. Oi ^^

    Em 1° lugar temos que teer amor próprio!
    Belas palavras e lindo layout *-*

    Aguardo sua visitinha. Estou seguindo.

    Beijos.

    http://girlsupimpa.com/

    ResponderExcluir
  6. Pois é Gih! Exatamente assim :'( mas acho que nessas horas a gente tem que falar tudo o que sente pra pessoa, ou mesmo escrever, como eu sempre faço..

    Fico feliz por terem gostado <3

    e sim, amor próprio sempre! rs
    beijos

    ResponderExcluir
  7. Muito bom seu texto, da pra sentir tudo o que se passar e a mistura de dor e força, muito incrivel.
    só quem passa por uma situação dessas pode saber o que significa.

    http://entaotudoaconteceu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Que bom que gostou, Tati!
    Pois é, só quem passou por isso mesmo... :/
    obrigada pela visita <3 beijos!

    ResponderExcluir
  9. Sei como é se sentir exatamente assim por alguém. A parte de esquecer é a mais difícil.
    Sua escrita é maravilhosa e seu blog é encantador!
    Beijos, Cyn.
    http://ograndetalvez.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. É realmente muito difícil esquecer alguém Cyn.. mas se esforçando a gente consegue!
    Obrigada, que bom que gostou <3
    beijos!

    ResponderExcluir
  11. Adorei seu texto ^^

    Tive uma ideia, até! Que tal me enviar um de seus textos que você mais gosta ou quer divulga-lo, assim publicarei no meu blog. Seus textos são uma graça e me inspiram muito =)


    Beijos!
    http://borboletasnacabeca.jkg.com.br

    ResponderExcluir
  12. Obrigada Juliane! Pode ser sim, também gostei da ideia! Vou dar uma passadinha no seu blog, beijos!

    ResponderExcluir