16 de setembro de 2013

Reticências: Do que você tem medo?


Medo, alguns dizem que o medo é do psicológico e outros se sentem melhor colocando medo nos outros... A verdade é que todos nós temos medo de alguma coisa; seja ela fictícia ou não.

Bonito para todos é ser bravo, forte e não ter medo de nada. Mas isso, não se passa de uma mentira deslavada. O ser humano foi feito de medos, e não há quem diga que não tenha medo de nada. Desde uma coisa pequena, até uma coisa grandiosa. O medo surge do nada, vem de um trauma, ou é posto por alguém.

Os nossos pais, por exemplo, sempre colocam medo na gente; desde quando somos pequeninos, ou até mesmo recém-nascidos. Quem é que nunca ouviu a cantiga do “Bicho Papão”, “Boi da Cara Preta”, ou aquela história, de que se você sair correndo na rua sozinho, irá ser pego pelo Homem do Saco? Tudo isso para nos botar medo. E para que nós crianças, sejamos mais fáceis de educar. O que no meu caso foi muito difícil, já que era criança corajosa, e gostava mesmo é do perigo. Saia sempre correndo em uma rua abandonada olhando atrás dos buracos em um muro, para ver se tinha algum Homem do Saco... Nunca achei nenhum. E percebi que todas aquelas histórias não passavam de uma falcatrua.

Ainda tem aqueles que fazem com que temamos o nome do outro. Quem nunca ouviu a mãe dizer: - Se você não fizer tal coisa eu vou contar para o seu pai...

E ainda nos perguntam por que é que temos medo!

Depois disso, quando crescemos, o medo não para por aí. Aí é que a coisa fica séria. O medo de não saber o que fazer quando crescer, que já vem lá da infância, porque sempre nos perguntam o que queremos ser, e a cada vez, respondemos uma coisa diferente, vamos ter dinheiro para sobreviver? Vamos ser ricos? Vamos nos casar, ser bem sucedido? Isso tudo é medo. O medo que a sociedade, ou melhor, nossos pais nos impõem.

Chegando à velhice, vimos que tudo aquilo era palhaçada. Você pensa que chegou até aqui, e o que mais tem para temer? Tudo aquilo que aconteceu já foi, e não há mais nenhuma aventura, drama, romance... Nada mais para viver...

Então chega a hora do juízo final, e o medo não acaba, cada dia que passa você quer saber se está na sua  hora ou como é que será seu fim. Mesmo porque, a maioria diz que quer morrer dormindo. Mas dormindo como? Pra morrer é preciso mais que isso, e se for pensar bem, todos morremos dormindo. Caído no chão da rua, após um atropelamento, deitado em cima da cama, depois de um ataque fulminante ou só dormindo mesmo, entubado, num hospital de meia tigela. Acho que a grande pergunta que temos é: Vamos mesmo para o céu? Existe um inferno? E se o corpo morre a alma ainda sabe quem é?

Durante a maior parte da vida sentimos medo. Nascemos, vivemos e morremos com medo. Aprendemos a conviver com ele, pois o medo é o que nos torna mais humano. 

----------------------------------------------------------------------------------------

Thamy Hirata cursa Jornalismo - Comunicação Social na UMESP (Universidade Metodista de São Paulo). Você já deve ter visto outro texto dela por aqui. Ah! Todos os textos do projeto também serão postados no blog da Aneiry, não esqueçam. Pra quem também quiser mandar texto, só enviar um e-mail para doceapego@hotmail.com. Beijinhos <3


2 comentários:

  1. Odeio sentir medooo, sou tão medrosa hauhau
    Gostei do texto da Thamy!

    ResponderExcluir