23 de novembro de 2013

Sobre o que a vida anda me dando


Uma vez, quando me disseram que a dor é algo completamente normal nessa vida, custei a acreditar. Foi no mesmo dia em que me falaram o quanto vamos sofrer nesse mundo e que qualquer coisa que esteja acontecendo agora, mais pra frente, será pior. Disso tudo eu tirei a conclusão de que, não importa o que aconteça, será sempre para aprendermos e construirmos nossas histórias.

Por que eu digo isso? Porque hoje é um dia como outro qualquer, porém diferente – afinal, todos os dias são. Sempre acordamos com aquela pouca vontade, mas nunca paramos para pensar no que realmente acontece ao nosso redor. Temos mais uma chance e acabamos por não aproveitá-la ao máximo; talvez fosse diferente se soubéssemos quando o mundo vai acabar. Mas não sabemos. Só temos conhecimento de que hoje é o amanhã de ontem, e o ontem de amanhã. Mas não paramos para pensar no quanto esse "hoje" é valioso.

As coisas estão chegando ao fim, deixando lugares vazios para outras novas coisas. Não sei ao certo como serão as novidades, que podem ser boas ou ruins, isso é fato. Se aguentaremos? Também não sei ao certo. Mas devemos tentar. Tantas vezes quis dar para trás e desistir, pensei em dizer que não suportaria a pressão e tudo o mais, mas isso é coisa de gente fraca. Quantas vezes fiquei sentada na frente de uma janela, sentindo o vento bater no meu rosto, e pensando em todos os meus sonhos e objetivos? Está na hora de dar o primeiro grande passo.

Quero o mundo, quero ser alguém que vai fazer a diferença nele, quero sentimentos e sensações diversas. Porém, acima de tudo, quero coragem para começar com isso. No momento sou só uma partícula minúscula nesse universo gigantesco, e então não sou ninguém especial. Para algumas pessoas sim, talvez, mas para uma cidade grande que não me conhece? Acho que não. Quero apenas saber que tudo vai dar certo e a distância vai ser um ponto de nada, que nada vai atrapalhar tudo que estiver dando certo, que o avião vai chegar daqui a 2 horas e em breve verei os que eu amo. Quero viver isso.

Talvez daqui a 2 meses tudo mude, e a hora de aproveitar ao máximo já tenha passado. Não que seja tarde – mas o que já foi, já foi, e arrependimentos não existem nessa hora crucial. Talvez daqui a 2 meses e algumas semanas eu esteja em outro ambiente, e daqui a mais tempo, sinta o frio me envolver, sente para tomar um café e ouvir uma música boa. Talvez eu faça bons amigos, continue sem saber fazer arroz e até mesmo que muitas outras pessoas estejam lendo isso... Porque as coisas mudam. A vida é feita de incertezas. No momento, a incerteza é algo que abraça a minha vida. Angustiante? Sim.

Pode parecer estranho e até mesmo loucura, mas é o que eu quero. Que esse tempo passe e me mostre como tudo será. Quero viver o hoje do futuro, e (sobre)viver de saudade e solidão boa. Porque ninguém disse, afinal de contas, que nossos momentos se repetiriam ou que nossa história seria sempre a mesma, certo? Pois é.

PS.: Textos-desabafo não precisam necessariamente de explicações.

Um comentário:

  1. Laris, você descreveu tudo que eu estava pensando antes de entrar aqui. Concordo totalmente com cada palavra escrita.
    Beijos ♥

    ResponderExcluir