27 de abril de 2015

Ansiedade


Nervosismo. São essas e outras que me fazem roer as unhas, tirar a pele, respirar fundo e tomar chás em busca de alívio.

Por que, afinal? E se não tiver porquê? E se tiver mas nada disso adiantar, nenhum refúgio aliviar, nada nos juntar? 

Quando eu era menor e assistia às novelas na televisão, via casais dando errado e se separando o enredo inteiro para, no fim, ficarem juntos. E eu pensava comigo mesma "por que eles complicam tanto? por que não ficam logo, falam o que sentem um para o outro e tudo se resolve?".

Aí a gente cresce e vê que nada é tão simples assim. As pessoas não são obrigadas a nos tratar bem só porque queremos, tampouco porque gostamos delas ou algo do tipo. O que gera sentimento de ilusão, depois decepção e, por fim, nervosismo. A gente tenta se conformar com o vazio de sentimentos vindo do outro lado, mas anseia por um sim. A gente tenta superar o não mas ainda tem esperança de algo que possa acontecer, do nada, quando menos esperamos.

Pena que as coisas não funcionam desse jeito.

Mas a partir de hoje eu parei, e os vícios e manias da ansiedade serão deixados de lado junto com os pensamentos e sonhos que me perseguiam.

Um comentário: