11 de outubro de 2015

coração tranquilo...


Eu lembro da primeira vez em que estive na Avenida Paulista. Estava com as minhas melhores amigas (de até hoje, mesmo que estejam distantes), e lá nós encontramos um amigo que estava passando uns dias em São Paulo. Tínhamos vindo da praia e eu nunca tinha nem passado perto da "mais paulista das avenidas" e, sem ao menos descer do carro, meus olhos brilharam. Uma música da Lana Del Rey estava tocando, e eu não me esqueço de ir na Starbucks e derrubar todo meu chocolate quente na minha blusa (risos).

Foi aí que eu me apaixonei por São Paulo. Foi exatamente nesse dia que eu voltei para casa contando dos meus planos para a minha família, falando que eu estudaria o máximo que pudesse e precisasse, para ir embora de onde eu morava. Para ir morar no lugar onde meus sonhos se tornariam realidade, e eu seria tão feliz como fui naquele dia com as minhas amigas.




Hoje em dia ir na Paulista é uma coisa comum para mim, já que eu moro há apenas 40 minutos de ônibus do meu lugar favorito no mundo. É onde eu costumo ir quando quero me sentir inspirada, passar um tempo sozinha, parar para pensar, fotografar... Eu não me canso desse lugar e nunca vou cansar!




São tantas histórias para contar, tantas fotos. Eu não me esqueço do dia em que fui procurar a padaria vegana da Augusta, que no caso não existia, e a dona do estabelecimento quase me bateu com a vassoura que ela estava usando para limpar a rua (sério). A moral da história é aquela triste: descobri que sou uma péssima jornalista por acreditar em qualquer coisa que leio na internet, e ainda fiquei com fome hehe.





Também não me esquecerei de quando parei num foodtruck, sozinha, e saí por aí comendo yakissoba sem carne nem frango, depois de ir na Endossa e amar cada caixinha de lá. Isso tudo em minha própria companhia, livre, andando sem rumo e sem intenção alguma a não ser aproveitar o melhor lugar de São Paulo. O melhor lugar do meu lar.














Ou de quando foi possível encontrar um pato inflável gigante na calçada... São Paulo é de olhar para os lados e se surpreender; olhar para o alto e se apaixonar.





Ainda tive a honra de assistir um show incrível de uma banda muito talentosa na calçada mesmo, em frente à Gazeta/Cásper Líbero (sonho!).

São Paulo é o cenário dos sonhos de qualquer garota que tenha grandes planos, já dizia Bruna Vieira. Minha liberdade me leva à querer rodar o mundo mas, enquanto ainda não posso, me contento andando sem destino pela Paulista e por lugares que fico feliz em saber que são tão próximos de mim. Sou grata por tudo isso de um jeito tão imenso, que ninguém pode imaginar.

Eu amo São Paulo. Amo minha casa. 

3 comentários:

  1. Eu só fui até aí uma vez, para a gravação de um DVD de uma banda que eu gosto muito. Sai do Rio Grande do Sul e passei um dia inteiro em um ônibus, mas valeu a pena. O show foi ótimo e, claro, a cidade me encantou. Só fiquei um pouco assustada com a velocidade que tudo funciona por aí, eu moro em cidade pequena a diferença foi mesmo muito grande hahaha espero voltar para SP algum dia. <3

    Beijo,
    literarizei.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Nossa... emocionante e inspirador, este post! percebi intensidade, verdade e intensidade nas suas palavras... Sou baiano, já fui em São Paulo, mas não conheci a Av. Paulista, pelo que li e vi, é um local de fato muuuuito inspirador! Gostaria muito de ter a oportunidade de conhecer esta Avenida! Também amo ser livre e independente, ser o dono das minhas vontades e desejos... sei bem como é isso! rsrs Parabéns pelo post!


    http://narcisofigueredo.blogspot.com.br/


    (;

    ResponderExcluir
  3. E QUANDO EU FALO QUE TE AMO, AMO SEU BLOG, SEUS POSTS, SUAS FOTOS vc tem que acreditar ahsuahsu, bom, esse post <3 PELO AMOR DE DEUS, Toda vez que tu faz post assim, eu fico muito ansioso pra mim ir embora logo, conhecer tudo, a paulista,tomar starbucks, ainda vamos tirar uma fotos juntos na PAULISTA, PQ SIM! <3 Lari, tuas histórias me inspiram, haha! <3 BEIJOS

    ResponderExcluir